Revestimentos

Argamassa: o que é, para que serve e seus tipos 

argamassa

Sempre presente nas obras e construções, a argamassa é um item essencial em qualquer obra.

Mas, mesmo sendo quase algo onipresente quando tratamos desse assunto, muitas pessoas ainda conhecem pouco ou até mesmo nada sobre argamassa, não sabem para que serve argamassa ou como preparar argamassa. Contudo, isso não é motivo para se preocupar!

A seguir, veja tudo o que você precisa saber sobre esse material, para sanar todas as suas dúvidas!

blank

O que é argamassa?

É muito comum na hora de consultarmos profissionais para reformar ou construir uma casa que eles nos digam para comprar o material, mas você sabe o que a argamassa é de fato?

A argamassa é uma mistura composta por cimento, areia, água e cal, mas em alguns casos isolados é possível ver que aditivos como barro, caulim e saibro foram colocados dentro da mistura. O concreto e a argamassa têm a mesma consistência. No começo, o material é bem maleável, quando fresco. À medida que o tempo passa e ele vai secando, se torna duro, oferecendo à obra resistência e durabilidade.

Caso você prefira termos mais técnicos, para a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), a argamassa consiste em “uma mistura homogênea de agregados miúdos, aglomerantes inorgânicos e água, podendo conter ou não aditivos ou adições, propriedades de aderência e endurecimento”.

A função da argamassa é agir como uma cola entre materiais, por isso ela é bem presente na hora de assentar blocos e tijolos, pisos e azulejos cerâmicos, entre outros.

Se você souber preparar a argamassa corretamente, verá que ela pode agir como um material extremamente maleável, além de seguro para realizar a atividade de assentamento. Contudo, vale lembrar que isso varia de acordo com a qualidade do material, componentes usados para sua composição e dependendo de como ela é manuseada.

Você pode escolher como a argamassa é preparada, de acordo com a sua preferência. As opções são manualmente ou utilizando uma betoneira, vai depender do porte da obra.

Se por um acaso o tipo que você estiver utilizando não for a argamassa estabilizada, é interessante que você prepare uma mistura que seja suficiente para apenas uma hora de aplicação, já que ela vem perdendo a plasticidade com o passar do tempo e vai secando, assim você evita desperdícios de materiais e gastos desnecessários.

Além disso, é possível comprar uma argamassa que corresponda com a sua necessidade, já que existem tipos específicos para rejuntamento, revestimento, contrapiso, impermeabilização, assentamento e grauteamento. Para decidir qual é a ideal para sua obra, o produto deve passar por algumas análises, como o tipo de base onde ele será aplicado, o modelo da peça que será utilizada, em qual fase da obra a argamassa será utilizada e se o ambiente é interno ou externo. 

Com tantos fatores e uma ampla quantidade de soluções, parece impossível categorizar as argamassas, não é? Mas saiba que mesmo com tantas opções é possível separá-las em apenas três macrocategorias, agrupadas de acordo com as suas características.

Para que a argamassa serve?

Já sabemos que a argamassa é na verdade uma mistura de cimento, areia, cal e água. Agora, o foco é para que serve esse produto. Apesar de termos dado uma breve explicação para essa pergunta anteriormente, vamos retomar esse tópico agora de forma mais aprofundada. 

De modo geral, o composto funciona como um elemento que garante a aderência entre outros materiais, como se fosse uma cola, sendo algo fundamental nas mais diversas fases da obra. Por exemplo, para fazer uma parede, precisamos assentar os tijolos ou blocos usados, como fazer isso? Com a argamassa!

Sem ela, qualquer parede não seria capaz de “ficar em pé”, por isso é tão importante. Outro exemplo são os azulejos que foram colocados em seu banheiro ou cozinha, seja na parede ou no piso. Foi graças à argamassa colocada entre eles e a parede que eles puderam ficar lá sem se mexer.

Até mesmo aquela inconveniência de quando seu vizinho acaba batendo no pilar da garagem e lascando um pedaço pode ser resolvida com o material. Acho que agora deu para entender porque dizemos que ela é quase onipresente quando se trata de obras e reformas.

blank

Quais os tipos?

Anteriormente, citamos que existem vários tipos de argamassa, certo? Alguns dos exemplos que podemos citar são as de assentamento, colante, revestimento e rejuntamento. 

Veja abaixo do que cada uma se encarrega:

Argamassa de assentamento

Esse tipo tem a função de unir blocos cerâmicos convencionais ou estruturais. A argamassa forma um tipo de “raiz” nos poros do bloco e o fixa. Geralmente, ela pode ser adquirida pronta, mas também pode ser rodada em uma central ou usando uma betoneira.

Argamassa colante

O tipo colante funciona como uma evolução da argamassa de assentamento. Hoje ela é produzida com uma mistura pronta, com cimento Portland, que é um agregado muito fino, que pode conferir adesividade (daí o nome, colante).

Argamassa de revestimento

Esse modelo é o responsável por recobrir, dar rugosidade e corrigir defeitos. Um submodelo dela é o chapisco, que é usado para melhorar a aderência da alvenaria com paredes erigidas.

Argamassa de rejunte

Esse tipo é responsável por preencher vãos entre peças cerâmicas, além de poder receber diversos tipos de pigmentos e dar acabamento. 

Como usar corretamente?

Para usar a argamassa de forma correta, é preciso primeiro se certificar do tipo que está sendo usado, se é o certo. Durante o seu uso, é preciso tomar certos cuidados, como forrar as áreas que não receberão a aplicação dela, dosar a quantidade de água de acordo com as instruções dos fabricantes e registrar a hora que o material seco foi adicionado ao líquido. Ainda, é sempre importante que você siga as instruções que os fabricantes colocam nas embalagens, assim como as proporções.

Seguindo a “receita” disponibilizada na embalagem de sua argamassa, sua mistura não terá erros. Agora, se você quiser conhecer mais sobre obras, acesse o Amigo Construtor!

Assuntos relacionados:
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Revestimentos