Grandes Construções

Grandes Construções: conheça o Viaduto 13 

Viaduto 13

Você já ouviu falar do Viaduto 13? Fique atento ao texto para descobrir a história desse lugar tão interessante.

Tudo começa em Muçum, uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul. Essa cidade também é chamada de Princesa das Pontes, justamente porque, no meio de todo aquele verde, surgem enormes construções de concreto.

Essas construções são viadutos, que formam um conjunto de viadutos, os quais compõem o caminho da Ferrovia do Trigo. O Viaduto 13, na verdade, fica na cidade Vespasiano Corrêa e é dele que vamos falar por aqui.

Viaduto 13: o mais alto viaduto ferroviário das Américas

O Viaduto 13 é o viaduto ferroviário mais alto das Américas e um dos mais altos do mundo. Construído pelo Exército Brasileiro no período da ditadura militar, essa construção tem 143 metros de altura e 509 de extensão.

Também chamado de Viaduto do Exército, o Viaduto 13 tem esse nome porque é o décimo terceiro de uma sequência que começa no centro de Muçum. Ele faz parte da Ferrovia do Trigo, a EF-491, no trecho entre os municípios de Vespasiano Corrêa e Muçum, no Rio Grande do Sul. 

A Ferrovia do Trigo liga as cidades gaúchas de Roca Sales e Guaporé e foi construída com o objetivo de viabilizar o escoamento da produção agrícola de soja e trigo, que era grande na região.

Construção do Viaduto 13

História do Viaduto

O Viaduto 13 começou a ser construído em 21 de junho de 1975, porém seu projeto já estava pronto desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Para que fosse realizada, a obra contou com uma grande participação de funcionários do exército: 40 oficiais, 90 subtenentes e sargentos, e 480 praças. Mas a maioria da mão de obra era formada por civis: 700 funcionários e 1,2 mil contratados. A obra utilizou o processo de formas deslizantes na construção dos pilares, e de treliças no tabuleiro.

Além do viaduto férreo, também foram construídos 32 túneis no trecho. A obra foi construída em três anos, sendo inaugurada pelo presidente do Brasil à época, Ernesto Geisel, em 19 de agosto de 1978.

Muitas lendas ainda persistem, alimentadas pelos moradores locais, sobre mortes durante a construção. Segundo eles, vários corpos teriam caído e foram concretados nas colunas do Viaduto 13. Porém, os registros oficiais apontam sete mortos durante a construção. Seis delas ocorreram quando oito funcionários se acidentaram, dos quais seis vieram a morrer, em 1976. 

Um militar morreu ao cair de um andaime já no fim da obra. Segundo uma testemunha, o oficial não estava usando o cinto de segurança e estava apoiado em um mastro que caiu, o levando a uma queda de 90 metros.

Ernesto Geisel, presidente do Brasil na ocasião, foi o responsável por inaugurar o viaduto e, desde então, essa construção foi reconhecida como um dos orgulhos da engenharia brasileira.

Viaduto do Exército

Como visitar o Viaduto 13

A construção do Viaduto 13 trouxe um grande impacto para a economia local. Mas, atualmente, no máximo um trem ainda corre sobre estes trilhos por dia, durante a madrugada.

Por isso, muitas pessoas se aventuram a ir até o local como forma de turismo, para passear sobre os trilhos, dentro dos túneis e até mesmo subir até o alto do viaduto. Alguns ainda utilizam a construção para a prática de esportes radicais, como rapel e base jumping. 

A cidade onde fica o Viaduto 13, Vespasiano Corrêa, está a 175 km de Porto Alegre. Vespasiano fica às margens da rodovia RS-129.

O Viaduto 13 fica a 695 metros acima do nível do mar, portanto, se prepare para o calor intenso se fazer essa visita no verão. O viaduto 13 fica a 8km do centro da cidade e no trajeto existe um pedágio que cobra R$ 4,60.

Para chegar até a base do Viaduto 13, é necessário seguir pela estrada de terra que tem início em Muçum. Há como fazer trilhas para chegar ao Viaduto 13, mas também há como ir de carro tranquilamente, para os que não são grandes fãs de grandes caminhadas.

O que fazer lá

Para os aventureiros, um dos passeios mais interessantes para fazer lá é a caminhada pela Ferrovia do Trigo. Esse trekking conta com 50km, tudo pelos trilhos, que passam pelos municípios: Guaporé, Dois Lajeados, Vespasiano Correa e Muçum.

Essa trilha pela linha ferroviária passa por um grande trecho de serra e atrai muitos turistas que gostam de caminhar. O trajeto passa por 21 viadutos, incluindo o Viaduto 13, e ainda por 24 túneis.

Há como fazer o trekking de várias formas. Como mencionamos, ir de carro também é sempre uma opção. Mas, ainda falando das caminhadas, tem como realizá-las em diferentes tempos:

  • 50 km em 3 dias: com direito a camping nos viadutos mula preta, pesseguinho ou o Viaduto 13;
  • 50 km em 2 dias: camping no viaduto Pesseguinho;
  • Trekking parcial de 16 km em 1 dia: do Viaduto Mula Preta ao Viaduto 13;
  • Do Viaduto 13 ao Viaduto 11: 4 km de caminhada (ida e volta);
  • Caminhadas curtas entrando por algum dos principais viadutos (Viaduto 13, Mula Preta ou Pesseguinho).

Além de tudo isso, por ali há cachoeiras e cascatas ótimas para relaxar e se refrescar. Há um pequeno rio e uma cascata bem próximos ao Viaduto 13, os quais irão proporcionar uma visão diferente e única da construção.

Segue uma lista de alguns lugares interessantes para visitar durante esse passeio nas proximidades do Viaduto 13:

  • Túnel Verde de Vespasiano Correa
  • Cachoeira Garganta do Diabo
  • Pinguela
  • Moinho Colonial
  • Cascata Subterrânea
  • Cascata Poço do Lambari

Onde comer

Na chegada ao Viaduto 13, existem algumas lanchonetes e bares, mas o comércio por ali é mais escasso. O local mais próximo para comer bem e garantido é o centro da cidade de Muçum.

É possível comer em um local chamado Kiosque, um restaurante que serve pratos simples e o único restaurante que abre de domingo. Ele fica na praça da cidade, logo em frente à Igreja Matriz e tem um ambiente arejado e bem colocado, aproveitando as sombras das árvores.

Ainda há a opção de comer na cidade de Encantado, com outros restaurantes para escolher. Porém, também há a opção de cada um levar sua comida e curtir o dia por lá.

Aos fins de semana, centenas de turistas, que costumam passar o dia nas proximidades do Viaduto 13, fazem churrasco e até pescam.

Quanto custa

O acesso ao Viaduto 13 é gratuito. 

Caso passe por algum camping e quiser acampar, é necessário pagar a diária e os preços podem variar. Há diversas opções de camping com banheiros, chuveiro quente e alguns até disponibilizam pequenos chalés.

De maneira geral, para esse passeio, é necessário considerar os seguintes custos:

  • Pedágio e gasolina (caso vá de carro);
  • Hospedagem (caso escolha algum camping);
  • Comida (mesmo optando por levar a sua comida);
  • Alguma emergência.

Gostou de conhecer mais sobre o Viaduto 13? Então confira também outras Grandes Construções do Brasil e do mundo!

Com informações do Jornal a Hora e agências de notícia.

Assuntos relacionados: , ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Grandes Construções