Decoração

Iluminação: como escolher a melhor luz para cada cômodo?

Escolher a iluminação ideal para cada ambiente é fundamental para transmitir sensações, causar conforto visual e valorizar a aparência da sua casa. Imagine a seguinte situação: seu lar foi recém reformado, você colocou móveis novos e itens decorativos que gostaria, porém, esse conjunto, fora da iluminação certa, funciona como uma foto de paisagem em dia nublado. É bonito? Sim, mas não valoriza o local da forma adequada. Por isso, preparamos este conteúdo, que aborda o básico de iluminação, incluindo os tipos de lâmpadas e o que é mais adequado para cada cômodo.

Para começar, precisamos entender os conceitos básicos de projeto de iluminação. Assim, é possível fazer escolhas mais assertivas para cada cômodo da casa:

  • Fluxo luminoso (unidade de medida – lumen ou lm): quantidade de luz emitida por uma fonte luminosa;
  • Nível de iluminância (unidade de medida – lux ou lm/m²): se trata da quantidade de luz dentro de um ambiente, aferida por um luxímetro;
  • Intensidade luminosa (unidade de medida – cd): fluxo irradiado na direção de um determinado ponto;
  • Curva de distribuição da luz: quanto maior a curva de abrangência da lâmpada, mais fraca é a sua luz num ponto direto, pois, ela se dispersa no ambiente como um todo.
FONTE: https://www.vivadecora.com.br/pro/iluminacao/conceitos-luminotecnicos/
  • Índice de Reprodução de Cor (IRC): grau de fidelidade com que a fonte de iluminação é capaz de reproduzir de uma cor.
  • Iluminação quente e fria: conceitos atrelados à cor da iluminação e a temperatura da lâmpada, onde, quanto mais quente a lâmpada, mais clara será a cor dela (conforme indicado na figura abaixo):
FONTE: https://www.vivadecora.com.br/pro/iluminacao/conceitos-luminotecnicos/

A falta de entendimento dos conceitos acima pode te levar a escolhas inadequadas de iluminação nos cômodos da sua casa, com a possibilidade de causar eventuais problemas de saúde, como: cansaço visual (pela iluminação dispersa demais) e irritação dos olhos (em situações de extrema luz em pontos específicos do ambiente).

Então, é preciso sempre optar pelas frias ou quentes? Pois bem, cada uma tem seu momento e local de aplicação. Vamos ver os tipos de lâmpadas do mercado para que se entenda qual a utilidade individual:

  • Lâmpada incandescente: tipo mais usual do mercado e mais antigo. Possuem alto consumo de energia e baixa eficiência luminosa, ou seja, apresentam grande curva de distribuição;
  • Lâmpadas de LED: melhor opção do mercado, por não emitirem calor e permitirem uma economia de até 90% de energia, além de poder ser aplicada em diversos ambientes;
  • Lâmpadas halógenas: similares às incandescentes, no entanto, promovem uma redução de custo de energia de 30% em comparação com a alternativa incandescente, além de apresentarem bom IRC, ou seja, ideal para deixar ambientes mais aconchegantes, destacar cores e decorações específicas;
  • Lâmpadas fluorescentes: frias, ótimas para ambientes que necessitam de claridade como um todo e apresentam 80% de economia em relação às incandescentes.

Após a compreensão da importância de cada tipo de lâmpada, vamos abordar como iluminar os cômodos de forma adequada, pensando do ponto de vista de funcionalidade:

1- Sala de estar:

FONTE: https://www.decorfacil.com/projeto-luminotecnico/

Funcionalidade: espaço mais usado da casa, onde há maior interação das pessoas e próximo à sala de jantar, geralmente.

Iluminação: pela versatilidade, luzes de cor quente, amarelas, são ideais para manter o ambiente aconchegante.

Lâmpadas recomendadas: frias – incandescente, LED com luz branca quente e halógena.

 

2- Sala de jantar:

FONTE: https://www.decorfacil.com/projeto-luminotecnico/

Funcionalidade: espaço que necessita de boa iluminação para melhor visualização dos alimentos e menor grau de dispersão de luz.

Iluminação: luzes de cor quente, amarelas, mas, com lustres que permitam pouca curva de distribuição.

Lâmpadas recomendadas: LED com luz branca quente, incandescente ou halógena.

 

3- Dormitórios:

FONTE: https://www.decorfacil.com/projeto-luminotecnico/

Funcionalidade: espaço dedicado ao descanso.

Iluminação: luzes de cor quente e reguláveis em intensidade, auxiliam no relaxamento ou com raio de dispersão amplos para atenuar a intensidade da mesma sobre a cama.

Lâmpadas recomendadas: incandescentes ou de halogêneo.

 

4- Cozinha:

FONTE: https://www.vivadecora.com.br/pro/iluminacao/conceitos-luminotecnicos/

Funcionalidade: espaço dedicado a elaboração e armazenamento de alimentos, portanto, requer claridade em todos os cantos do cômodo.

Iluminação: luzes de cor branca fria auxiliam na visibilidade dos alimentos.

Lâmpadas recomendadas: fluorescentes e LED com luz branca fria.

 

5- Escritório:

FONTE: https://www.vivadecora.com.br/pro/iluminacao/conceitos-luminotecnicos/

Funcionalidade: ambiente dedicado ao foco e produtividade.

Iluminação: luzes de cor branca fria auxiliam na visibilidade, em conjunto, com luminárias que focalizem e direcionem a luz emitida.

Lâmpadas recomendadas: fluorescentes e LED com luz branca fria.

 

6- Área externa:

FONTE: https://www.vivadecora.com.br/pro/iluminacao/conceitos-luminotecnicos/

Funcionalidade: ambiente dedicado a realçar plantas, objetos decorativos e itens de mesma finalidade da fachada da casa ou prédio.

Iluminação: luzes que realcem as cores e objetos, com finalidade de aumentar a sensação de conforto.

Lâmpadas recomendadas: halógenas, incandescentes e LED com luz branca quente.

Agora, você poderá fazer boas escolhas para os cômodos da sua casa, em termos de iluminação. E lembre-se: um ambiente bem decorado e arrumado pode ficar ainda melhor com a luz certa.

Guilherme Aznar Araújo – Consultoria técnica InterCement Brasil

Assuntos relacionados: ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?

E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Decoração