Alvenaria

Infiltrações: principais tipos e como evitar

Infiltração

Infiltrações representam um problema bem desagradável, não é? Pode deixar manchada a pintura, fazer esfarelar o acabamento e ainda causar mofo e bolor. Ela é uma das manifestações patológicas de correção mais chatas, por isso é importante investir bastante na prevenção. Por isso, vamos apresentar agora para você as principais fontes de umidade nas construções e também como evitá-las. Vamos lá?

1. Umidade decorrente de intempéries

Geralmente ocorre pela infiltração de água de chuva, que penetra através de fissuras na fachada ou na laje de cobertura, assim como aberturas na cobertura. 

Fonte: C&C

Este tipo de umidade normalmente está associado a uma impermeabilização inexistente ou não executada de forma correta.

Em lajes planas diretamente expostas ao tempo (como as coberturas de prédios), devem ser utilizados sistemas impermeabilizantes flexíveis, que absorvam as movimentações decorrentes dos ciclos de calor e frio (como membranas impermeabilizantes ou mantas asfálticas).

Para as fachadas, é importante que os revestimentos sejam bem executados e que fissuras sejam sempre tratadas (de maneira geral, este tratamento também deve ser feito com um sistema flexível).

As janelas também devem ser instaladas de forma correta e bem vedadas. Deve-se tomar muito cuidado com infiltrações em ralos, junções de paredes e juntas – estes costumam ser os pontos fracos para a entrada de água da chuva. Beirais, telhados, rufos e calhas também devem ser sempre bem projetados.

2. Umidade por condensação

Este tipo de umidade acontece quando o vapor de água entra em contato com superfícies mais frias (como vidros, metais, paredes e lajes), formando pequenas gotas de água. Olha só: neste caso, a umidade não está infiltrando, ela somente está no ambiente e fica depositada nas superfícies.

É bastante comum em banheiros, principalmente no inverno, quando recorremos àquele banho superquente. Este tipo de umidade pode causar manchas e bolor nos locais onde as bolhas de água se acumulam. 

Infiltração
Foto: Reprodução
Infiltração no banheiro
Foto: Reprodução

A melhor forma de combater este tipo de umidade é providenciando uma boa ventilação para o ambiente sujeito à formação de condensação, ou seja, investindo em esquadrias que deem conta do recado (e deixando-as abertas sempre que possível, claro!).

3. Umidade ascendente por capilaridade

Geralmente aparece na base das paredes dos pavimentos em contato direto com os elementos de fundação. Comumente leva ao esfarelamento do revestimento e manchas nesta região.

Ela ocorre devido à ausência de impermeabilização dos elementos de fundação, que permitem a passagem de água para as paredes (normalmente constituída por tijolos e argamassas, que são porosos e absorvem esta umidade).

Pode ser permanente (se o nível do lençol freático for elevado) ou não. A água que entra por capilaridade costuma subir cerca de 70 cm a 80 cm!

Foto: Reprodução

Para evitar este problema, o ideal é que as fundações sejam impermeabilizadas durante a execução da obra. Para isso, podem ser empregados sistemas rígidos (como argamassas poliméricas ou cristalizantes) ou flexíveis (como membranas asfálticas).

4. Umidade por infiltrações

Este tipo de umidade atinge o interior de uma edificação pelas paredes e lajes intermediárias, e as causas são as mais variadas: ruptura de uma tubulação hidráulica embutida, ausência ou deficiência na impermeabilização (principalmente em áreas molhadas ou molháveis, como banheiros, cozinhas e áreas de serviço), estanqueidade inadequada entre edificações adjacentes… Em regiões de subsolos, podem ser causadas pelo nível elevado do lençol freático que atinge as paredes. 

Foto: Reprodução

Este tipo de infiltração também pode ser evitado por meio da impermeabilização adequada. Áreas internas molhadas ou molháveis podem ser impermeabilizadas com sistemas rígidos, enquanto nas áreas sujeitas à pressão negativa (como o caso dos subsolos), é melhor optar por um sistema de impermeabilização flexível. Além disso, deve-se tomar muito cuidado na execução das instalações hidráulicas e também em intervenções posteriores (já ouviu alguma história de alguém que foi instalar um parafuso e atingiu um tubo de hidráulica?).

Pronto! Agora você já conhece os principais tipos de infiltrações e como evitá-los. Viu como a impermeabilização é importante? Por isso, nunca deixe de contar com um bom projetista deste sistema: ele saberá indicar o melhor tipo de impermeabilização para cada caso específico.

Além do projeto, uma execução primorosa da impermeabilização (e dos demais sistemas também) é essencial para evitar problemas. Escolha uma equipe capacitada, certo?

*Por Mariana Ribeiro, Engenheira Civil

Assuntos relacionados: , , ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?

E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Alvenaria