Sua Casa

Casa com idosos: como deixar o lar mais funcional

27 de fevereiro de 2020
FacebookTwitterLinkedInGmail

Adaptar a casa para idosos é manter o ambiente mais confortável e prático para todos. Os ajustes não causam grandes impactos visuais nas residências, mas podem mudar a vida dos mais velhos que vivem por lá.

Você sabia que o Brasil deve chegar a ter 57 milhões de idosos (pessoas acima de 60 anos) até 2047*? Essa é quatro vezes a quantidade de idosos no país em 2017 e também seria o mesmo que encher a cidade de São Paulo quatro vezes.

Assim, dá para imaginar o quanto é importante aumentar a acessibilidade para os idosos.

Confira algumas dicas para mudar o ambiente a garantir essa sensação de pertencimento.

Pisos emborrachados e antiderrapantes

Talvez os banheiros sejam a maior preocupação para quem pensa em transformar a casa em um ambiente mais seguro para idosos.

Isso acontece porque este cômodo da casa fica frequentemente molhado e, portanto, escorregadio. Pisos como ardósia e porcelanatos dificultam ainda mais a locomoção quando o ambiente está úmido, podendo levar a tombos perigosos.

Para evitar este tipo de acidente, a melhor solução é optar por pisos emborrachados, antiderrapantes. Esse cuidado é ainda mais importante em áreas de maior risco, como dentro e na saída do box.

Barras de apoio e corrimões

Se há algum idoso — ou qualquer pessoa — com dificuldade para mobilidade, as barras de apoio irão ajudar a prevenir acidentes e também dar certa independência para que eles circulem com mais facilidade pelos cômodos da casa.

Rampas

Construir rampas ou instalar rampas portáteis é a melhor solução para fugir das escadas. Esta opção fará com que a locomoção seja menos desafiadora e muito mais dentro da realidade dessas pessoas.

Escadas são funcionais para quem não tem dificuldade de locomoção e nenhuma limitação cognitiva. Por isso, quando usadas em espaços com idosos, podem se tornar inimigas.

Caso não seja possível tirar as escadas, instale corrimão dos dois lados, sinalização do começo ao fim e pisos antiderrapantes em cada degrau.

Móveis sem quinas

Móveis com quinas já são complicados para casas que possuem crianças, e muitas vezes todos acabam se machucando com as pontas. Com os idosos, não seria diferente.

Opte por cantos arredondados, móveis redondos ou acolchoados. Assim, você evita que batidas na quina se tornem machucados feios. Outra opção é utilizar protetores de quinas, que você encontra em lojas de materiais de construção.

Portas largas

A NBR 9050 faz parte de uma série de regulamentações da Associação Brasileira de Normas Técnicas, respaldada por diferentes profissionais do ramo da construção civil com foco em acessibilidade.

Segundo essa norma, para que as portas contemplem a acessibilidade em casa, elas devem ter largura de pelo menos 80 centímetros e altura de 2,10 metros.

Desta maneira, há espaços suficiente para idosos que sejam cadeirantes e evita desconforto.

Caminho livre

Circular nos espaços da casa é primordial para garantir a independência de idosos. Sendo assim, os lugares onde há circulação devem ser mais largos (1,20 metros, no mínimo).

Outra boa dica é livrar o caminho de bugigangas, adereços e fios que não acrescentam nada à funcionalidade do espaço. Geralmente, com o passar dos anos, a visão periférica se perde, e esses obstáculos podem gerar acidentes.

Evite tapetes e cortinas e roupas de cama longas para fugir das quedas.

Iluminação

Iluminação é a chave quando se pensa em conforto para idosos. É necessário que a iluminação seja uniforme para não criar manchas e sombras que distraiam essas pessoas.

É preciso que haja um reforço na cozinha e banheiro, mas também nos corredores para facilitar a circulação na casa.

Pensar em uma casa que funcione para idosos é pensar em uma casa que funcione para todos que moram lá, além de aumentar a sensação de independência para quem está na terceira idade.

*Com informações do IBGE

Posts Recentes

Posts recentes