Grandes Construções

Grandes Construções: a história do Theatro Municipal do Rio de Janeiro 

blank

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro é uma das principais casas de espetáculo do Brasil e um ícone cultural carioca e brasileiro. O teatro é palco para importantes orquestras, companhias de teatro e de ballet e diversos artistas nacionais e internacionais.

Apesar do nome, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro é vinculado ao estado e não ao município. Atualmente, ele é dirigido pela Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com Aldo Mussi na presidência e André Heller-Lopes como diretor artístico.

Com 111 anos de história Mas você sabe por que o Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi construído?

Construção

O teatro foi construído para suprir a necessidade de uma casa de espetáculo que comportasse a intensa atividade teatral que havia no Rio de Janeiro, então capital do Brasil, no século XIX.

Por isso, o dramaturgo Arthur Azevedo lançou uma campanha, em 1894, para que fosse construído um novo teatro que fosse sede de uma companhia municipal, como a  Comédie-Française, teatro estatal francês. O único resultado dessa campanha foi a criação de uma lei e a cobrança de um tributo para a construção do teatro.

Porém, anos mais tarde, o Prefeito Pereira Passos retomou o projeto e abriu, em março de 1903, uma concorrência pública para a obra. Nessa época, o prefeito também executava uma reforma urbana que mudou completamente o aspecto do centro do Rio de Janeiro, e o Theatro Municipal foi parte importante dela.

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Projeto Áquila – Fachada do Theatro Municipal, por Francisco de Oliveira Passos (1904)

 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Projeto Isadora – Fachada do Theatro Municipal, por Albert Guilbert (1904)

A concorrência recebeu sete propostas, e dois projetos empataram em primeiro lugar: o “Áquilla”, de autoria do engenheiro, e filho do prefeito, Francisco de Oliveira Passos, e o projeto “Isadora”, do arquiteto francês Albert Guilbert, vice-presidente da Associação dos Arquitetos Franceses.

O projeto final foi uma fusão destes dois, uma vez que ambos seguiam a mesma tipologia inspirada na Ópera Garnier de Paris. Assim, em 2 de janeiro de 1905, começaram a obras para a construção do prédio com a colocação das primeiras 1.180 estacas de madeira de lei, sobre as quais o teatro está assentado.

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Projeto final para o Theatro Municipal – Prefeitura do Distrito Federal/RJ (1904)

Características

As fachadas do teatro misturam elementos clássicos e barrocos. Já a decoração contou com o trabalho dos pintores mais ilustres da época, como Eliseu Visconti, Rodolfo Amoedo e os irmãos Bernardelli. Além disso, artesãos europeus foram responsáveis pela criação dos vitrais e mosaicos. O prédio ainda conta com materiais especiais em todos os seus detalhes, como as escadarias de mármore, os corrimões de ônix e cúpulas em cobre e vidro.

Ao todo, a obra contou com a mão de obra de 280 operários, que se revezavam em dois turnos. Assim, foi possível que ela fosse concluída quatro anos e meio mais tarde, em 14 de julho de 1909. O prefeito então já era outro,  Francisco de Souza Aguiar, e o idealizador do Theatro Municipal, Arthur Azevedo, havia falecido nove meses antes da inauguração.

O espaço inaugurado tinha capacidade para 1.739 espectadores. Depois de algumas reformas e alterações no decorrer dos anos, o teatro chegou à capacidade atual de 2.361 lugares.

100 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Em comemoração aos 100 anos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o prédio passou por uma nova reforma para restauração e modernização das instalações.

A reforma começou em 2008, e o teatro foi reinaugurado em maio de 2010. Nesta reforma, foram investidos cerca de R$ 70 milhões em obras de restauro que tiveram como objetivo resgatar aspectos originais do edifício.

Gostou de conhecer mais sobre a história do Theatro Municipal do Rio de Janeiro? Então veja também mais histórias sobre grandes construções do mundo!

Com informações do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Diário do Rio e Rio, eu te amo (por Pedro Butcher, 2015)
Imagens: Divulgação

Assuntos relacionados: , , ,
Gostou? Compartilhe!
De um a cinco, que nota você dá para esse conteúdo?
E aí, ficou com alguma dúvida ou quer comentar algo sobre esse conteúdo?




    Mais Artigos Sobre Grandes Construções